Arquivos da Categoria: Pra Economizar

Como conseguir crédito universitário no Brasil?

Além do vestibular, uma preocupação costuma ocupar a mente dos jovens estudantes brasileiros: como pagar as mensalidades da faculdade. A boa notícia é que existem algumas possibilidades de se conseguir crédito universitário – empréstimos, feitos pelo governo ou por empresas privadas, que devem ser pagos no prazo estipulado.

Sem dúvidas, é um bom negócio para o estudante, que tem tempo para organizar as suas finanças e não precisa perder a oportunidade de fortalecer o currículo para aproveitar melhores vagas no mercado de trabalho. Mas quais são os tipos de créditos existentes para estudantes? Qual é a melhor opção? Contamos neste post. Confira!

Como escolher o melhor crédito universitário
O primeiro passo é conhecer as opções de crédito universitário disponíveis no mercado e entender as regras que as diferenciam. Vamos começar falando do programa desenvolvido pelo governo, o Fundo de Financiamento Estudantil (FIES). Embora as condições de pagamento e os juros costumem ser melhores do que algumas instituições privadas, existem duas exigências básicas para que o estudante possa contar com este empréstimo:

Pontuação mínima de 450 pontos nas provas objetivas do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM)
Renda familiar bruta per capita de até três salários mínimos
Além disso, vale destacar que este programa só financia cursos presenciais. Mas se por algum motivo você não se enquadrar no FIES, existem possibilidades privadas de crédito universitário.

Uma alternativa é checar o crédito universitário oferecido pelos bancos. Veja quais são as condições oferecidas por instituições como o Banco do Brasil e o Bradesco antes de tomar a decisão. De forma geral, os bancos oferecem financiamento para pagar um semestre da faculdade e a dívida pode ser parcelada em 12 vezes. É muito importante que o estudante avalie as taxas e o vencimento das parcelas antes de contratar este tipo de serviço.

A solução também pode estar em empresas conveniadas com a instituição de ensino. No PraValer, por exemplo, é possível financiar cursos de graduação, MBA, pós-graduação e técnicos. Duas vantagens desta opção são as taxas de juros relativamente baixas e a possibilidade de conseguir crédito universitário para cursos a distância. Além disso, o PraValer pode ser utilizado em conjunto com outros benefícios, como uma bolsa de estudos ou o próprio FIES.

Cuidados importantes na hora de contratar o crédito universitário
Agora que você já conhece as principais modalidades de financiamento, é hora de comparar as taxas e condições de pagamento envolvidas em cada uma delas. Também é importante checar quais são as exigências de cada programa, para saber se você está apto a ter o seu crédito universitário aprovado. De forma geral, é preciso comprovar uma renda pré-determinada e não ter restrição de crédito no seu CPF.

Também é importante analisar os valores e as datas de vencimento das parcelas do seu financiamento. Assim, você garante que não terá dificuldades para realizar os pagamentos. Vale dizer que o crédito universitário também pode ser solicitado quando o curso já está em andamento, caso o estudante, por algum motivo, encontre dificuldade em pagar o próximo semestre.

Comparar taxas e condições de pagamento é um ponto essencial na hora de decidir qual é o melhor programa de crédito universitário para você. Para isso, você pode utilizar o comparador do portal PraValer!

Publicado por:

4 dicas de economia indispensáveis para estudantes

Além dos desafios acadêmicos, é comum que a vida universitária apresente problemas relacionados à questão financeira. Seja para aqueles que já ganham o próprio dinheiro ou que ainda dependem dos pais, uma boa gestão financeira é fundamental para que seja possível focar nos estudos, evitando se endividar, perder o controle de suas contas e até mesmo comprometer o pagamento da própria faculdade. Continuar lendo

Publicado por:

Os jovens e a crise econômica

É inegável que o Brasil vive em uma crise econômica desde o ano passado. Os preços aumentaram, as empresas – especialmente pequenas e médias – já não lucram tanto, muitos trabalhadores foram demitidos e a oferta de empregos diminuiu. As pessoas estão com dificuldades de manter o padrão de vida a que estão acostumadas e ainda mais dificuldades em aumentar suas rendas. Continuar lendo

Publicado por: