MEMÓRIA: COMO LEMBRAR DE TUDO NA HORA DA PROVA

Comentarios:

Home Pra Estudar
Memoria 1

Sabe aquela música que você não consegue esquecer? E aquele crush da época do ensino primário, lembra? Tem certas coisas que podem até não ter sido tão importantes, ou que já faz tanto tempo, mas que, mesmo assim, a gente consegue lembrar com facilidade. No entanto, aquilo que a gente quer gravar, como a matéria da próxima prova, por exemplo, insiste em sumir dentro do nosso cérebro.

Por que isso acontece e se é possível reter ou recuperar uma lembrança mais facilmente, ainda é um mistério para a ciência. Recentemente uma pesquisa realizada pelas universidades de Notre Dame e Wisconsin (EUA) indicou que a nossa memória recente pode ir pra uma área do cérebro que pode ser reativada através de impulsos magnéticos. Mas, enquanto os estudos não trazem resultados concretos e essas técnicas permanecem distantes do nosso acesso, continuamos esquecendo o que deveria ser lembrado.

Mas calma, não esquecemos o porquê de você estar lendo isso aqui. Por isso, vamos te dar algumas dicas pra facilitar a memorização de tudo que você precisa lembrar na hora da prova.

Paciência, uma virtude importante para a memória

As memórias são como borboletas: Se você correr atrás delas, elas vão fugir. Se você tiver paciência, elas pousam na sua mão. Então, não se desespere. Leia os textos com calma e estude sempre sem se afobar. Não fique se cobrando demais por não ter absorvido todo o conhecimento logo na primeira leitura. Isso raramente vai acontecer. É preciso, ler, reler e anotar para que determinado assunto possa entrar na sua cabeça mais facilmente.

E, juntamente com a paciência, é preciso manter o corpo são. Se você preparar seu corpo e mente pra receber este aprendizado, ele será retido muito mais fácil. Então, antes de passarmos para os passos mais práticos, primeiramente dê uma respirada. Não esqueça de dormir e se alimentar bem. Sobrecarregar sua mente pode prejudicar o processo de aprendizagem e memorização.

Leia, anote e revise

Esta é a tríade básica para reforçar um conteúdo estudado. Leia com atenção, buscando entender tudo. Logo após faça mais uma leitura, dessa vez anotando alguns pontos importantes, fazendo marcações, desenhando esquemas que ajudem a tornar mais fácil a assimilação.

Algumas técnicas renomadas sugerem que nas primeiras 24 horas, para cada hora de leitura, deve ser feita uma revisão de 10 minutos. Você pode fazer isso lendo anotações, criando resumos ou até através da gravação de trechos da aula ou de suas próprias explicações para escutar posteriormente.

Use a memória visual, auditiva e sinestésica

A gente lembra de algumas coisas porque de certa forma elas se tornaram importantes, pelo menos para os neurônios em nossa cabeça. Isso significa que as conexões neurais que compõem esta memória foram fortalecidas em algum momento.

Para que isso aconteça com algo que estamos estudando é importante estimular esta lembrança de várias formas, fortalecendo estas conexões neurais. Podemos fazer isso estimulando a memória visual, criando em nossa mente associações imagéticas sobre o tema, vendo um vídeo, fazendo desenhos e esquemas que ajudem a criar esta conexão através de imagens.

Você também pode estimular a memória auditiva ouvindo a um podcast, uma aula gravada ou simplesmente lendo em voz alta. E é importante também associar o conteúdo com a memória sinestésica, contando o que você aprendeu para alguém com gestos e movimentos.

Estas três vertentes da memória explicam facilmente porque você consegue lembrar daquela piada que conta em todo almoço de família. Você associa ela com imagens, sons e expressões e isso cria conexões fortes entre seus neurônios, ainda mais por repeti-la várias vezes. Ainda que as risadas não se repitam sempre, a associação é forte o suficiente pra mantê-la viva em sua memória.

O segredo é estimular sua memória

A memória é um tanto quanto sedentária. Ela precisa ser estimulada a todo momento. Se você quer lembrar mais facilmente de um conteúdo, é preciso fortalecer as conexões que sua mente faz. E, pra isso, o jeito mais prático é sendo exposto ao conteúdo o máximo possível. Mas, um detalhe importante aqui: não o máximo de vezes, mas com o máximo de qualidade. Por isso não adianta ler algo 100 vezes. Você precisa ler, entender, assimilar e, assim, vai lembrar rapidamente, sem precisar de várias repetições.

Como um motorista se lembra de botar a mão no volante, o pé no acelerador, no freio, embreagem, trocar as marchas e ainda ajustar o som e olhar no retrovisor, tudo ao mesmo tempo? Foi a repetição e o fortalecimento das sinapses e das reações químicas que ocorrem no cérebro quando essas ações acontecem, que tornou este tipo de situação, ainda que inicialmente complicada, algo fácil e natural.

E, com as dicas que você viu, aplicadas corretamente, você vai conseguir facilmente lembrar de tudo na hora da prova. No final, vai ver que isso pode ser tão fácil quanto dirigir um carro.

Deixe uma resposta