Jornalista: de repórter a freelancer

Comentarios:

Home Pra Carreira Pra Estudar
© Copyright 2013 CorbisCorporation

O jornalismo é uma profissão difícil e apaixonante. Dizem que a pessoa verdadeiramente vocacionada para a área sempre pensa em mudar de profissão, mas logo percebe que não poderia viver sem a rotina da redação e a possibilidade de exercitar o senso crítico ou sem a possibilidade de contar uma boa história.

Mas nem tudo nessa profissão são flores. O jornalista tem de lidar com a pressão, uma rotina extenuante e um salário inicial “tímido” se comparado a outras profissões com nível universitário.

No entanto, hoje o jornalismo ganha cada vez mais uma nova roupagem por meio do desenvolvimento tecnológico. Uma das frentes que mais recebem novos profissionais é o jornalismo freelancer. Vamos falar um pouco mais sobre esse assunto a seguir.

O curso de Jornalismo

Durante o curso, o estudante desenvolve habilidades relacionadas a estruturas de textos, domínio da língua portuguesa e capacidade de expressão. São ministradas também disciplinas como filosofia, sociologia e artes visuais, importantes para o desenvolvimento humanista do aluno.

O curso de Jornalismo tem a duração média de quatro anos e é oferecido na modalidade de bacharelado. O ideal é que o estudante comece a fazer estágios no terceiro semestre do curso, quando ele terá mais condições de acompanhar o trabalho de um profissional efetivo.

O perfil do jornalista

Se você está inclinado a cursar Jornalismo, saiba que é essencial ler e escrever muito e estar antenado a tudo que acontece na comunidade, no país e no mundo.

O jornalista tem de saber um pouco de tudo. Entretanto, quanto mais ele se especializar em algum assunto com o qual sinta afinidade, mais respeitado e mais procurado ele será.

Carreira

Cargos

Geralmente, o jornalista inicia a carreira como repórter. Conforme ganha experiência, passa a ser editor, redator-chefe e diretor de redação. Há vários meios de comunicação para trabalhar, como TV, rádio e sites, além dos jornais e revistas impressos, que seguem basicamente essa organização.

O jornalista também pode trabalhar nas assessorias de imprensa, que cuidam do relacionamento das empresas com a mídia em geral.

Salário

Um estagiário ganha em média R$ 800 por 6 horas de trabalho por dia. Um profissional formado recebe de R$ 900 a R$ 2,5 mil.

Carreira freelancer

Há tempos houve-se falar de crise nos jornais. Na verdade, o formato do jornalismo é que mudou. Afinal, nunca se produziu e circulou tanta informação como nos últimos anos. O caso é que essas informações se diluíram pelos incontáveis veículos e páginas da internet, o que provocou um esvaziamento nas redações dos tradicionais veículos de mídia.

Na esteira dessa realidade, cada vez mais profissionais tem se voltado para o jornalismo freelancer. Nessa modalidade, o jornalista trabalha de forma autônoma para a veículos e agências de comunicação ou para blogs e portais em geral.

Enquanto o jornalista de redação tem um salário fixo por mês e tem de escrever matérias cotidianas todos os dias, o freelancer “decide” que matéria quer escrever e apresenta a ideia, ou seja, a pauta, para o veículo de comunicação. Se a ideia é aceita, o jornalista freelancer parte para a produção do material e vai ganhar um valor determinado pelo trabalho. Ou seja, quanto mais o freelancer conseguir emplacar pautas, mais ele vai receber.

A grande questão do trabalho freelancer é justamente essa: quantas pautas o profissional é capaz de emplacar? Nesse sentido, temos uma dica fundamental para o jornalista de hoje: domine a linguagem e o trabalho na internet e nas rede sociais.

Trabalho online

Com o desenvolvimento dos blogs e de redes sociais como o Facebook, abriu-se uma grande janela para exploração dos comunicadores. Alguns profissionais conseguem viver muito bem com a publicação de artigos em blogs dos mais variados assuntos. Existe uma grande demanda por redatores para alimentar sites corporativos e atualizar páginas no Facebook. O jornalista que mergulhar nesse mercado pode se dar muito bem.

Mercado de trabalho

Com o advento da internet, as redações de mídias digitais são as que mais oferecem vagas hoje em dia. A área de comunicação corporativa e assessoria de imprensa também cresce ano a ano. Uma dica para o estudante de Jornalismo que pretenda trabalhar na redação ou como freelancer é especializar-se em áreas como meio ambiente, ciência e economia, pois o mercado é carente de jornalistas que cubram esses setores.

O que achou da porofissão de jornalista? Você pretende seguir essa carreira? Acesse o site PRAVALER e descubra a melhor maneira de fazer esse investimento.

Deixe uma resposta